sábado, 14 de agosto de 2010

O Pecado no Éden

Esta é uma das questões que mais embaraço encontra uma pessoa não-religiosa, e que uma pessoa religiosa se esforça em não entrar no rol: O PECADO ORIGINAL
Bem, o texto mais mau-entendido para se iniciar uma suposta 'doutrina do pecado original', o qual supõe que todo ser humano, nascido depois de Adam e Chavá (Adão e Eva), tem este, digamos, selo, em sua alma, em seu ser. Mas, seria isso uma verdade, um CONCEITO JUDAICO?

Esta doutrina do pecado original ensina que, pelo fato de Adam e Eva terem pecado no Jardim do Éden, estes trouxeram a morte a todos os seus descendentes. Segundo este ensinamento, todos os humanos morrem porque Adão pecou ao comer de um fruto que H'Shem os havia proibido de comer. Segundo um livro profano, porque Adão comeu de tal fruto, a morte entrou no mundo. Com este pecado, todo homem deve pagar com a morte, algo INCONCEBÍVEL dentro da TORÁ e de toda a estrutura judaica.

"E ordenou o ETERNO D''s ao homem, dizendo: 'De toda árvore do jardim podes comer.
E da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comerá dela; pois no dia em que comeres dela, morrerás".
Bereshit 2.16,17


H'Shem deu uma ordem, dizendo que não se comesse daquele fruto. Analisando inicialmente estes passukim (versos), há uma declaração: "De toda árvore do jardim podes comer". Havia autoridade do homem comer daquele fruto sim, porém não naquele momento, pois em seguida H'Shem dá outra ordem: "E da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comerá dela". Que isso significa? Que D''s não queria que seus filhos tivessem conhecimento daquilo que ELE tinha em mente? Mas, antes, ELE, disse que, SIM, poderia comer de todas as árvores. Seguindo este elemento, H'Shem daria a comer também da Ets haDaat Tov vaRá, a Árvore do Saber do Bem e do Mal. Porém, não naquele momento, pois "E da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comerá dela". Bem, aconteceu que Eva, seduzida pela sua própria vontade, e astúcia de uma serpente falante se deixou a esquecer da ordem do Superior, e acabou cedendo:

"E viu a mulher que boa era a árvore para comer e que desejável era para os olhos e cobiçável a árvore para entender, e tomou do seu fruto e comeu; e deu também a seu esposo, com ela, e ele comeu."
Bereshit 3.6

A mulher, impelida pela sua livre arbitrariedade, ou seja, pela sua livre decisão de fazer ou não, resolveu que podia comer, mesmo sem a permissão, anteriormente, ordenada. Quem recebeu tal mandato foi o Ish (Homem), quando, antes da criação dela, ouviu com bons ouvidos (Bereshit 2.16). Comendo, e dando ao seu esposo, teve algo que ainda não havia 'lutado' por obter: O CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL, contidos dentro deste fruto. Criados com a liberdade de escolhas, poderiam ter continuado por mais tempo sem desobedecer. Eles não eram seres autômatos, como os anjos, mas seres que podiam decidir, sem conhecimento de causa, mas poderiam decidir. H'Shem, como prova de observância, lhes proibiu que comessem tal árvore. Poderiam ter se saído bem, mas...

Bem, comeram e o fato estava consumado. Uma árvore madura, em que não precisaram 'suar' para que houvesse ali frutos. Comparemos a uma criança recebe de seus pais a comida excelente, sem precisar trabalhar para se sustentar. Assim, H'Shem separou no Éden um jardim. Este era composto de tudo de bom para sua maior criação: o HOMEM. Poderiam comer de tudo menos de uma. Esta era a única observância. Mas, comeram.
Com isso, houve a primeira transgressão, o primeiro pecado, e foram ( de certa forma dura) expulsos daquele paraíso aqui na Terra.



Agora entramos no caso do Tema desta semana: PECADO ORIGINAL É CONCEITO JUDAICO?
A grande maioria dos religiosos afirmam que o ser humano morre porque Adam pecou no jardim do Éden, e isso foi 'herdado' pelos seus descendentes. Seria isso VERDADE??
O homem foi formado nesta terra para que cuidasse dos bens que H'Shem criou.
Como explicado em outro Tema aqui neste blog (http://conceitosjudaicos.blogspot.com/2010/07/o-homem-e-imortal.html), o homem foi feito MORTAL. Nunca houve imortalidade em sua formação terrena.
Adam, 'nasceu', para um dia morrer ou não. Isso dependeria. MAs que era mortal em sua carne é inegável.

A TORÁ ensina que o homem comeu do fruto consciente do que lhe ocorreria. A morte indicada pela palavra de D''s foi muito bem entendida. Quando ele recebeu a exclusão do jardim do Éden, ali acabou sua existência eterna que seria advinda do comer da Árvore da Vida. Estava fadado a morrer. Foi pela atitude de comer a árvore que ele foi expulso? Não, mas por outra coisa pior que poderia acontecer: comer da Árvore da Vida. Foi por este motivo que ele foi expulso do 'Paraíso'. H'Shem os expulsou para que não se tornassem imortais. Contudo, não levaram em sua gene a 'semente' do pecado, como insinua o dito livro profano. Mais adiante, em Bereshit 4, vemos claramente o ensinamento da TORÁ, de que o homem não nasce com pecado algum. O relato da morte de Hável (Abel) por seu irmão Cain, mostra esta atitude humana, e seu interior:

"E irou-se Cain, muito, e descaiu-lhe o semblante. E disse o ETERNO a Cain: 'Por que te iraste e por que descaiu o teu semblante? Porventura se podes bem suportar (ser-te-ás perdoado), e se não, na porta jaz o pecado; e a ti (fazer-te pecar), é o seu desejo (do mal impulso), mas tu podes dominá-lo"
Bereshit 4. 5b-7


A TORÁ é precisa em detalhes: 1º Cain IROU-SE, 2º irou-se MUITO, 3º ficou sem controle e DESCAIU O SEMBLANTE.
Deste detalhe, nada sugere uma ação de fora para dentro, muito pelo contrário. Cain mostra toda sua fúria, e isso vem de dentro (irou-se) para fora (descaiu o semblante). Que havia dentro dele? Este passuk nos remete ao fato anterior, daquilo que podemos chamar de 'cair em pecado', ou seja, quando ele assassina seu irmão(Bereshit 4.8)

Em seguida à concepção da ira interior, de total responsabilidade de Cain, H'Shem continua a persuadí-lo a que DOMINE seu instinto.
"Porventura se podes bem suportar (ser-te-ás perdoado), e se não, na porta jaz o pecado; e a ti (fazer-te pecar), é o seu desejo (do mal impulso), mas tu podes dominá-lo"

Nesta porção da palavra de H'Shem a Cain, vemos que a tentativa de ceder o perdão, pelo pensamento, ou seja, o impulso do coração de Cain, para o mal, antes que ele viesse a se concretizar. Por que seria perdoado, se não tivesse ainda feito tal delito? Porque todo ato, se inicia antes de tudo dentro de nós. Quando Eva foi comer da árvore, ele teve dentro de si este desejo. A serpente foi um desvio de conduta, que aprovou aquilo que ela queria.

Porventura se podes bem suportar (ser-te-ás perdoado)
Se o homem conseguir bem suportar a sua ânsia pela maldade que instiga, certamente será perdoado pelo Criador. Mas, por que H'Shem perdoaria a Cain, sendo que o mal seria feito a seu irmão? Pelo fato da não consumação, porém assim mesmo, Cain teria como que por obrigação pedir perdão pela 'arquitetura de morte' ao seu irmão, sendo assim reconciliado. A TORÁ ensina que aquele que aquele que comete uma transgressão deve pagar sua pena. Sendo assim, Cain, e somente ele deveria pagar pelo pecado que cometeria adiante. Aliás, aqui está pela primeira vez a palavra pecado, e saindo da Boca de H'Shem.

e se não, na porta jaz o pecado
Vejam que o pecado está próximo de ser materializado, pelo pensamento do homem. Ele está ali, bem perto.
Havel, recebe o convite. A intenção de Cain, de tirar-lhe a vida, está para se apresentar em forma de uma fúria destrutiva, tanto da vida do Tzadiq Havel, como de uma posteridade inteira, de Cain. Se ele pudesse só mais um pouco suportar esta ira, estaria perdoado por H'Shem (pois não houve consumação), mas se não, o pecado que estava em seu interior seria materializado em forma de morte. Não que se ele estivesse no Éden estaria fora de perigo. Ele, como seus pais tinham livre-arbítrio, então, poderia ter decidido matar seu irmão mesmo estando lá dentro. A TORÁ não menciona qual a situação do rancor e inveja. Apenas que a situação chegou ao limite quando ambos ofertaram suas dádivas a H'Shem. Nem nos conta qual foi a conversa deles no campo.

e a ti (fazer-te pecar), é o seu desejo (do mal impulso)
Aqui, mais uma vez percebemos que não há ação exterior alguma. A concepção de matar o seu irmão estava ganhando uma dimensão fora de controle. Cain não havia nascido com pecados, porém estava desejando um, pois a TORÁ declara veementemente e a ti (fazer-te pecar), é o seu desejo. O desejo pelo pecado. O desejo por fazer o que é mal. Isso está declarado. Não há figuras mitológicas agindo em volta de Cain. Ele, após atos de extrema fixação nervosa parte para a finalização de seu desejo,

mas tu podes dominá-lo
H'Shem diz que ele pode sim, dominar este impulso para o mal. O pecado que está defronte pode ser desviado, e assim acabar por se destruir este mal pensamento. O auto domínio do ser humano é eficaz para que se obtenha vitória sobre o instinto próprio de uma 'defesa' através da fraqueza psicológica. Ao admitir que poderia causar mal ao seu irmão, coisa que jamais veio junto de seu espírito ao nascer, Cain tem também a alternativa de suportar e dominar a reação transgressiva da vida de outrém. Antes de descer à cova, na morte, o homem tem a oportunidade de controlar, e dominar seu instinto do mal. Quando a TORÁ descreve 'o pecado jaz a porta', é como se a cada passo que damos, há chances de sucumbir a esta estrutura criada dentro de nós mesmo.

Dentro do Judaísmo chamamos isso de Ietzer haRá, Inclinação ao Mal. O oposto é Ietzer haTóv, Inclinação ao Bem.
Assim, cremos que nada fora do homem pode agir para que ele seja bom ou mau, a não ser o meio ambiente e as coisas por ele mesmo interpretadas. Não é uma luta dentro de nós, e muito menos uma batalha travada entre o Bem (D''s) e o Mal (diabo). São, isso sim, tendências que podem ou não vir a ser concluídas.



"E disse Cain a Havel, seu irmão, e sucedeu que, estando eles no campo, levantou-se Cain contra Havel, seu irmão, e o matou."
Bereshit 4.8
Com esta passagem, tivemos em conta o primeiro assassinato humano. Cain disse algo a Havel, e nisso houve uma discussão, e como estavam em local afastado, no campo, Cain se mostrou tão violento, que lutando contra seu irmão, o matou. A TORÁ, num único versículo, falando apenas de duas pessoas, faz questão de mencionar duas vezes que Havel era (de Cain) seu irmão. Isso nos mostra que um ato desumano sempre será contra duas pessoas distintas: contra o homem, criatura feita para que dominasse a terra e as outras criaturas inferiores, e contra H'Shem, o Criador e doador de vidas. Ora, sabemos que Havel era seu irmão, porém para destacar a crueldade do instinto ao mal do homem, ela destaca bem aparente que ele era SEU IRMÃO.


Que há de original nos dois primeiros atos de transgressão?

O homem pecou no jardim do Éden. O homem pecou fora dele. Havia sempre dentro do homem, em sua essência, o gosto pela liberdade. Sendo único responsável por seus atos, ele resolve que deve tomar suas próprias decisões. Come quando não era para comer. Mata quando não era para deixar o pecado se revelar.
Quando come, ele se torna conhecedor. Quando peca, se torna um arrependido. Como toda criação de H'Shem, o homem é bom. Ele tem estas tendências, porém é bom (Bereshit 1.31). Se o homem se arrepende de seus atos contrários à Sabedoria da TORÁ ele será recebido de braços abertos (Ezequiel 18). Se puder suportar, será perdoado.
O homem não nasce pecador, e a doutrina de pecado original é uma ofensa ao espírito da Criação. O homem não herda pecado algum de Adam, nem a morte é por causa de Adam. Poderia sim, se Adam não tivesse desobedecido, que fôssemos imortais, mas, como ele não cumpriu a única mitzvá que lhe foi dada, apenas continuou aquilo que já era: mortal. Não podemos reclamar por algo extra que poderíamos ter nas mãos.
O profeta I'shayahu nos mostra com simplicidade que uma criança não sabe discernir nada. Ela não herda pecado original algum (Is 7.16).

Temos em nossa vida duas escolhas: o Bem e o Mal. Ninguém, senão nós mesmos pode decidir. Ou se faz o Bem, o qual a TORÁ é a dádiva, ou se faz o Mal, ignorando a mesma TORÁ.

A Escritura do tanakh diz:" A Alma que pecar, esta morrerá."(Ez 18).
Não diz: a Alma que nasce pecadora e pecar, esta morrerá.

Portanto, o ensinamento dum livro profano que diz que por um homem (Adam) o pecado entrou no mundo, e com isso todos herdam este pecado e por isso pecam e morrem por causa do pecado de Adam, é MENTIRA. Não é conceito dentro da TORÁ.
PECADO ORIGINAL NÃO É CONCEITO JUDAICO.

Shalom Alekhem!
5 de Elul do ano 5770 da Criação


17 comentários:

  1. Muito bom mesmo este Estudo. Realmente o Cristianismo tem muitas doutrinas que em muitos pontos entra em Contradição com as Escrituras Judaicas.
    Na Igreja a qual eu pertencia, já ouvi Pastores pregar que o Pecado Original, nem era mais o de Adão e Eva, mas o da rebelião de Lúcifer nos Céus. Acho que esta segunda opinião é bem pior ainda.

    Enfim, gostei muito deste esclarecimento. Sempre que faço estudos dentro da Interpretação Judaica, vejo que há muita coerência, e fico muito mais satisfeito. Ao contrário da "interpretação" do Cristianismo, que parece ser envolta em "mistérios".

    Que o Eterno o Abençoe.

    Joel - Email - joeli_santos@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coerente? Kkkkk
      Então não estude com cristãos hereges. Se você estudar o islamismo (uma criação judaíca) parecerá ainda mais coerente. Ou até a mística judaíca cabalá.
      Se você entender os mistérios de Deus, você será deus.

      Excluir
    2. Coerente? Kkkkk
      Então não estude com cristãos hereges. Se você estudar o islamismo (uma criação judaíca) parecerá ainda mais coerente. Ou até a mística judaíca cabalá.
      Se você entender os mistérios de Deus, você será deus.

      Excluir
  2. Este tal livro profano que vcs citam porventura é a carta escrita aos Romanos pelo grande Apostou Paulo??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, bocó. Foi isso que esse bocó quis dizer.

      Excluir
    2. Claro, bocó. Foi isso que esse bocó quis dizer.

      Excluir
  3. Então por que, inteligência rara, alguém morre quando ainda um feto, por acaso pecou pra morrer? Mas vc poderá questionar, dizendo que um feto ainda não é uma alma porque não nasceu. Mas, então, se for um bebê pré maturo, e morrer? Teria ele cometido algum pecado além de ter nascido? Se sim, qual então? Dê uma resposta sem especulação ou artifício. Se usar esse raciocínio débil, pode-se dizer então sobre Ez 18, 21-25, que ninguém é e/ou foi capaz de conversão e cumprir os estatutos de Yhwh, de praticar o direito e a justiça, pois todos sem exceção acabam morrendo. Se fossem capazes de tal proeza, permaneceriam ainda vivos. Mas não é isto que o texto quer dizer, não é mesmo? Mas em Ez 18, vc maliciosamente quer dar a entender que o texto quer dizer outra coisa que não o que ele realmente diz. Tira do contexto o significado. Quão leviano é sua atitude pra favorever sua tese. Como vc interpreta o Sl 13 (14)?
    Não se herda o pecado mas o efeito, isto é, as consequências. Os próprios judeus na antiquidade acreditavam que algumas enfermidades que vinham desde o nascimento (cegueira, mudez, surdez, ou alguma deficiência física) era resultado dum pecado cometido ou por seus ancestrais ou até mesmo numa outra vida vivida pela pessoa anteriormente (reencarnação). Nega isto também? Seja honesto se temes a Hashem, Yhwh, Yahweh, Yavé, Javé.

    ResponderExcluir
  4. Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, e assim a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”. Romanos 5:12 nossa herança kkkk,não tem jeito

    ResponderExcluir
  5. Muito boa explicação, faz todo o sentido! Não sou judeu nem cristão, sou muçulmano e tenho encontrado na Torá muitas semelhanças com o Alcorão. Certamente são religiões reveladas por Allah Altíssimo.

    ResponderExcluir
  6. Muito boa explicação, frequentei por mais de 22 anos o protestantismo, e apos tê-lo deixado de lado e mergulhado no judaismo venho descobrindo muitas verdades e obtendo maior conhecimento da Torah

    ResponderExcluir
  7. Encontrei incoerências neste texto amigo. Vou apenas comentar na intenção de encontrarmos uma melhor compreensão.

    a morte NÃO é por causa de Adam. Poderia sim, se Adam não tivesse desobedecido, QUE FÔSSEMOS IMORTAIS, mas, como ele não cumpriu a única mitzvá que lhe foi dada, apenas continuou aquilo que já era: mortal.

    Bem, se conheço bem o texto de bereshit, "de TODAS AS ÁRVORES COMEREIS, EXCETO ... Conhecimento do Bem e do Mal".

    Ok, partindo da ideia original do texto, TODAS AS OUTRAS FRUTAS OU FRUTOS OU ARVORES ENCONTRADAS NO JARDIM poderiam ser consumidas, e isso inclui a ARVORE DA VIDA. E porque não? Entenda que a VIDA ETERNA DO HOMEM NO JARDIM (pensamento meu) SE DAVA PELO FATO DE ELE PARTICIPAR DO FRUTO DA ÁRVORE DA VIDA (que prefigura o MASHIACH). A sentença, que tem por base o NÃO CONSUMO DO FRUTO DA VIDA, por D'us ao homem não poderia ser entendido pela ótica de que, se continuasse no JARDIM, agora comeria do FRUTO DA VIDA e viveria ETERNAMENTE. Eles (meu parecer) já comiam desta árvore. Toda a Toráh já estava escrita em HaShem, mesmo antes de ser dada no Sinai. A morte pelo erro (desobediência ao Eterno) já era um fato.

    Grato pelo espaço e parabéns pela pagina

    ResponderExcluir
  8. Preciosas informações contidas neste estudo. Meu coração se alegra. Quão maravilhoso é o nosso Deus.

    ResponderExcluir
  9. Shalom Adonai! Não sou judia,mas os respeito,afinal Yeshua é judeu e nos ensinou, em seu tempo aqui na terra, que devemos amar uns aos outros. Amar também significa respeitar. É claro que PECADO ORIGINAL não é conceito judaico. Nem mesmo é conceito de alguma religião. Eu pergunto: aonde, quando é de que forma nasceu o pecado? Provavelmente, cada religião vai contar sua versão. Não podemos falar de PECADO ORIGINAL, sem primeiro falar da ORIGEM DO PECADO. Parece redundante,mas ao lermos Ezequiel 28.11-19, vamos entender que o mesmo já existia no céu. E quando o autor do texto acima faz separação na Palavra proferida pelo Senhor, ao dizer "de toda árvore do jardim comerás livremente,mas da árvore do conhecimento não comerás".(Gênesis 2.16-17), considero que o mesmo esteja enganado,pois o Senhor falou logo em seguida o que Adão deveria e não deveria fazer. Quando o Senhor disse "sim", em seguida Ele disse "não". A respeito do Senhor dar a ordem à Adão e não à Eva, não a faz menos culpada porque certamente ela também tinha conhecimento.
    Sabe irmãos (somos todos criação do Altíssimo, quer queiram ou não), o que importa mesmo é que todos nós somos pecadores. A todo instante,minuto a minuto estamos pecando. Ou vocês acham que só é pecador quem mata, rouba ou mente? Pra o Senhor não existe "pecadinho" ou "pecadao". E eu creio em um DEUS VIVO. Os judeus não crêem em JESUS porque dizem que não existe esse nome na língua hebraica,mas naquele tempo também se falava aramaico. Se a origem do nome JESUS é romana e para os judeus é YESHUA, não importa. Eu creio que Ele é o FILHO do ALTÍSSIMO, do TODO PODEROSO, do CRIADOR. Eu creio que Ele veio à terra através de uma virgem, concebida pelo ESPÍRITO SANTO. Creio que SEUS ENSINAMENTOS são o MANUAL para nossas vidas. O significado de YESHUA é salvação. Sim, JESUS foi, é e sempre será o SALVADOR de qualquer pessoa que assim o receber em seu coração,em sua vida e buscando transformação para o pecado não venha dominá-lo. Um dia tudo isso vai acabar porque assim como JESUS RESSUSCITOU, ELE VOLTARÁ e nos levará para vivermos ao Seu lado na ETERNIDADE. Não vamos perder mais tempo com teorias,conceitos,opiniões,corrupções e tantas outras coisas que nos separam do Senhor e do nosso próximo. Vamos nos esforçar para praticar os ENSINAMENTOS DE JESUS/YESHUA. A paz do Senhor Deus Todo Poderoso.(nem tudo sabemos,nem tudo concordamos,mas em tudo desejamos: PAZ!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cuidado temos que ter provas concretas sobre esse jesus pode se pagao talvez e so eterno que voltara e nem pisara nessa terra.pesquiso o professor de hebraico tzofran claudioluiz O Reino dos ceus esta entre nois jesus pode se o falso profeta aimagem da besta anjos caidos reptelinos por traz da religiao e governo os aliens.shalam irma

      Excluir
  10. so queria saber quem escreveu tora e sobre genisis shalam obg

    ResponderExcluir